Header principal

Trigêmeos nascem no Hospital Azambuja e são acolhidos na UTI Neonatal

Trigêmeos nascem no Hospital Azambuja e são acolhidos na UTI Neonatal

Gestante de Criciúma foi encaminhada à instituição pela Central de Regulação

Na manhã de terça-feira, 12 de julho, nasceram no Hospital Azambuja os trigêmeos Vitor Hugo, Victor e Valentim. Os bebês são filhos do casal de Criciúma, Aline da Silva Costa, 28 anos, e Elisandro Antunes, 32 anos. A gestante foi encaminhada a Brusque pela Central de Regulação do Estado, diante da disponibilidade de vagas para internação dos bebês, que nasceram de 33 semanas e seis dias, na UTI Neonatal do Hospital Azambuja, inaugurada no último dia 28 de junho.
A gravidez dos trigêmeos foi descoberta por Aline e Elisandro quando ela já estava com 22 semanas de gestação. Aline é mãe de 9 crianças (contando com os trigêmeos), quatro de um relacionamento anterior e cinco com Elisandro (os gêmeos Vicente e Vinicius e os trigêmeos Victor, Vitor Hugo e Valentim). Elisandro também tem um filho de 12 anos, de um relacionamento anterior.

Ela conta que não desconfiava da gravidez, pois ainda amamentava os gêmeos Vinicius e Vicente e se recuperava do parto dos meninos. Porém, buscou consulta médica, pois começou a sentir um desconforto. “O médico pediu alguns exames, entre eles o de urina, e não sinalizou gravidez. Foi então que eu pedi um ultrassom e apareceu. Para mim foi um choque, trigêmeos! Meu marido ficou todo faceiro”, lembra ela.
Até a realização do parto, esta semana, Aline enfrentou alguns desafios na gestação. Pressão alta e diabetes gestacional preocuparam a mãe, que ficou internada por algum tempo no Hospital Materno-Infantil Santa Catarina, em Criciúma. A vinda para Brusque ocorreu diante das vagas disponíveis para acolher os bebês com tratamento intensivo. “Em Criciúma não há mais leitos de UTI Neonatal, então fui encaminhada para cá e fomos muito bem recebidos aqui”, revela.
Na tarde de terça-feira, enquanto ainda se recuperava da cesariana, Aline recebeu a ‘Árvore da Vida’ dos trigêmeos, o ‘carimbo’ da placenta realizado logo após o parto, com as informações do nascimento de Vitor Hugo, Victor e Valentim e ficou muito feliz com o presente do hospital. Em Brusque na companhia do marido, que é operário de uma empresa metalúrgica, o objetivo de Aline agora é recuperar-se bem e estar próxima dos bebês. A família recebeu muitas doações de roupinhas para os trigêmeos, mas quem quiser ajudar com a doação de fraldas e itens para os bebês, podem encaminhar ao Hospital Azambuja em seu nome.
A família fez uma vaquinha para angariar recursos para a família, que mora de aluguel em Criciúma. As doações podem ser feitas através do link https://www.vakinha.com.br/2860078

Parto e internação
O parto de Aline foi realizado pelo médico Dr. Getúlio de Almeida, que atua há mais de 40 anos como obstetra no Hospital Azambuja. O primeiro bebê a nascer foi Vitor Hugo, com 2,090kg e 46 centímetros, às 8h03. Em seguida veio Victor, com 2,100kg e 47 centímetros, às 8h05. Já Valentim nasceu com 2,270kg e 48 centímetros, às 8h09. Não há previsão de alta médica para os meninos, mas os três estão bem.
Segundo a coordenadora de enfermagem da UTI Neonatal, Bruna Cristina Sgrott, até a tarde de terça-feira, nove bebês, entre eles os trigêmeos, estavam internados na UTI Neonatal do Hospital Azambuja, de famílias de Criciúma (4), Rio do Sul (2) e de Brusque (3).
O acesso dos pais à UTI Neonatal é liberado 24 horas por dia, sendo permitido apenas um por vez, ou o pai, ou a mãe. “Não há nenhuma restrição quanto ao tempo de permanência do pai ou da mãe na UTI Neonatal. Todos os bebês que conseguimos tirar da incubadora e colocar pele a pele com a mãe, para criar esse vínculo, nós assim o fazemos”, ressalta Bruna.

Inauguração recente
Toda estrutura da UTI Neonatal foi preparada em menos de 30 dias, tempo recorde, atendendo solicitação da Secretaria de Estado da Saúde. Os equipamentos necessários para a instalação da UTI Neonatal, foram adquiridos por meio de uma emenda parlamentar no valor de R$ 2,7 milhões, encaminhada pelo então deputado estadual e médico Serafim Venzon, em seu último ano de mandato (2018). A estrutura é custeada pelo Governo do Estado até dezembro deste ano, no valor de R$ 5 milhões. Paralelo a isso, o Hospital já busca o credenciamento do serviço junto ao Ministério da Saúde, para continuidade dos trabalhos.
De acordo com o gestor do Hospital Azambuja, Gilberto Bastiani, a instalação da UTI Neonatal já estava nos planos da instituição, a princípio anexa à nova torre que terá suas obras iniciadas neste segundo semestre de 2022. “Atendemos o pedido do Governo do Estado para instalação antecipada da UTI Neonatal, diante da alta procura por leitos de tratamento intensivo. Ficamos satisfeitos em poder oferecer este serviço à população, às famílias como a de Aline e dos demais bebês, que necessitam de tratamento. Estamos contentes porque agora podemos receber as pacientes de Brusque, que precisavam sair da cidade para ganhar seus bebês, por não ter disponível leitos de UTI Neonatal aqui. Hoje, a UTI Neonatal já é realidade em Brusque, no Hospital Azambuja”, complementa.

Compartilhar